05 setembro 2006

Câmara de Mangualde beneficia com abertura de valeta, apenas alguns, da Rua dos Bogalhais na freguesia de Mangualde

Não faltam agora por este concelho de Mangualde estradas em mau estado de utilização.
A abertura “exagerada” de vias em terra batida faz com que aumentem as queixas de quem lá passa e mora. A demora da repavimentação vai ser longa « E enquanto o alcatrão não chega, lá vamos andando aos solavancos», queixa-se um morador da Rua dos Bogalhais.
Este Bairro é novo e está em crescimento. Muitas são as moradias construídas. As condições oferecidas não são as melhores, «mas o local é lindo e sossegado» desabafa.
As câmaras municipais lamentam muito o centralismo de Lisboa no que toca à distribuição dos investimentos. Mas não se preocupam em olhar para os seus concelhos e acabam por privilegiar os centros urbanos e deixar ao abandono zonas rurais e mais afastadas das estradas nacionais, como acontece a esta rua dos Bogalhais, da freguesia de Mangualde, onde os moradores têm de andar pela lama, pelo pó de buraco em buraco.









A Autarquia Mangualdense, sensível a esta situação, resolveu deitar mãos à obra e requalificar esta rua, que como muitas neste concelho, está muito necessitada.
As obras arrancaram esta segunda feira e pelo verificado no local, apenas a valeta e entradas para a Vivenda de José Ferrinho será beneficiada.
Alguns moradores ao terem conhecimento desta situação, ao passarem pelo local, aperceberam-se que os trabalhadores da autarquia abriam a vala para águas pluviais e colocavam brita apenas nas entradas da referida vivenda.
Esta situação está a criar um certo desconforto, até porque no final do dia os trabalhadores, retroescavadora e camião da autarquia Mangualdense já não se encontravam no local, fazendo prever a paragem dos efémeros trabalhos.

12 comentários:

al cardoso disse...

Caro Terreiro:
Como voce nao me faz nenhuma visita ultimamnente, tenho que visita-lo eu.
Olhe, fico contente pelo meu amigo Ferrinho, pessoa que ja nao vejo ha mais de 25 anos, no entanto continuo a pensar que os demais moradores merecem a mesma sorte.
Pode ser que o meu amigo se engane, e que as maquinas voltem.

Um abraco forno-algodrense.

Anónimo disse...

Tem piada...AS pessoas quando foram para la morar ja sabiam que iam andar na lama e no pó e eu por mim falo tudo leva o seu tempo porque roma e pavia não se fez num dia!e so foi possivel la construir quando há alguns anos alguem se lembrou de abrir aqueles caminhos e bem,e quem tirou as fotos em causa que tire tb as outras que ja estão feitas e que deixe de andar com palas nos olhos

mocho disse...

mas em mangualde dizem que quando se faz uma urbanização fica logo tudo feito.
A colocação das valas e as obras feitas numa casa é certamente pura coincidência.Nem me atrevo a imaginar a possibilidade de outra coisa.
Mas o truque de abrir caminhos de terra e depois vir a terreiro dizer que se está a fazer obra e a fazer estradas é tipico. depois no ano das leições lá levam mais um arranjo. é habitual.
obras feitas --- mesmo feitas .... daquelas mesmo mesmo, feitas.. que a gente olha pra elas e vê logo que estão feitas.... humm existirá alguma?
Para quem está no poder há 9 anos...

Anónimo disse...

e desde quando e que aquilo e uma urbanização? Veja o que quer dizer Urbanização...

Crónicas de Ariana disse...

Se pensarmos no significado de Urbanização (acto ou efeito de urbanizar; complexo habitacional) e urbanizar (tornar urbano;
embelezar uma cidade, dando-lhe todas as condições de uma cidade moderna: avenidas, rede de esgotos, parques, zonas comerciais, zonas industriais, etc.) verificamos que é algo raro em Mangualde.
Noutros locais as urbanizações têm logo os seus jardins, as suas estradas, iluminação, etc. Em Mangualde as urbanizações são desordenadas, vejamos o estado do Bairro da Sr.a do Castelo: moradias não acabadas e ao abandono, num bairro que deveria ser privilegiado, uma vez que a Sr.a do Castelo é o nosso cartaz de visita.
Mas é triste que não éxistam outros na mesma situação. Os espaços verdes (responsabilidade camarária) são autenticos matagais e os acessos autenticas vias de pó e lama, vejamos o exemplo do acesso ao Bairro da Imaculada Conceição.

mocho disse...

de facto anónimo aquilo não é uma urbanização. esse termo é praticamente desconhecido na câmara de mangualde

Anónimo disse...

para sua informação o bairro da sr do castelo é o bairro das colónias...

Crónicas de Ariana disse...

Sr. Anónimo sabe bem que não me referi ao Bairro das Colónias, não se faça de desentendido...
Sabe bem qual o bairro a que me refiro e também tem que reconhecer que o que eu disse relativamente a esse bairro é verdade (está à vista de todos, não estou a inventar nada).

Anónimo disse...

Anonymous, que queira viver no pó e na lama, aí o problema é só seu e cada um tem aquilo que merece os outros moradores não o querem e eu por mim falo.
Agora os caminhos foram abertos … foram sim senhor. E porque é que foram abertos? Sabe com certeza e porque é que foi aberto esse estradão nesse terreno … cortando essa quinta! Quer que explique mais ou vai ter coragem de dizer. Pois é cada qual sopra a brasa que assa a sua sardinha. Sempre os mesmos, ali, a ser beneficiados é que dá nas vistas.
Ainda falavam no Professor Benjamim!

sattelite disse...

Mais uma vez fica provado que a CMM só trabalha para o compadrios, não se entende como é possível uma situação destas, é ilegal utilizar meios camarários para benefício próprio, os trabalhos deveriam continuar para que todos pudessem usufruir de algum conforto...

Observador atento disse...

Sr.º "fotógrafo" António Ferreira
A curiosidade levou-me ao local que conheço bem, qual o meu espanto quando verifico que, nestes dias foi feito uma entrada para o terreno do Sr. Santana, outra entrada para a casa em construção da sua sobrinha, três entradas para o terreno do Sr.º Eng. Alberto Henriques estas sim na Rua dos Bogalhais.
Entrando então na Rua Mira Serra constato as entradas para a referida vivenda, valeta de águas pluviais, uma entrada para a casa em construção do Sr.º Carlos Abrantes e até que enfim o arranjo do cruzamento da Rua Mira Serra com o caminho do alto das Cabeças com ligação a Santo Amaro.
É pena que a sua foto-reportagem seja parcial induzindo em erro os visitantes do seu blog que até fez logo sair o satélite da órbita.
No meu ponto de vista é o que se pode chamar um “fotógrafo” com ponto de mira errado, a menos que por falta de capacidade da máquina ou doença do operador a foto-reportagem tenha ficado incompleta.

Anónimo disse...

Já agora eu tu tb la moro e nao me fizeram nenhuma entrada?
Porque razao é que a CMM(maquinas , empregados) tem de fazer este tipo de obras?
Será que o FERRINHO nao tem dinheiro para pagar a uma empresa q va la fazer a obra.
Já agora, quem pagou os paralelos foi.........