04 novembro 2006

Auxiliar de várzea de Tavares foi readmitida

Acusações de alegada "vingança" política por detrás da decisão da Câmara Municipal de Mangualde (CMM) de não renovar o contrato de uma auxiliar de serviços gerais que presta serviço na escola do 1.º ciclo do Ensino Básico de Várzea de Tavares, naquele concelho, levaram a autarquia a recuar no propósito de abdicar do serviço da funcionária em causa.

As críticas de professores, encarregados de educação e da própria funcionária - que em declarações ao terreiro acusou a CMM de "vingança política" por não ter apoiado, nas últimas autárquicas, a candidatura do PSD à Junta de Freguesia de Várzea de Tavares -, surgiram depois de Maria Isilda Santos ter recebido, a 2 de Outubro último, um ofício da autarquia a comunicar a cessação do vínculo contratual a partir de 1 de Novembro.
O presidente do município, António Soares Marques, reuniu-se com os vereadores da Educação e dos Recursos Humanos da autarquia, e com o secretário da Junta de Freguesia de Várzea de Tavares, para reanalisar a situação e decidiu manter a funcionária, até ao final do ano lectivo, para evitar mais problemas.

1 comentário:

GreenSky disse...

Uma boa atitude do autárca, os meus parabens.