20 novembro 2005

A carroça dos Poetas

Várias vezes vai a Mangualde com a familia às compras.
Letra e música: Sérgio Godinho
Arre burro pra Loulé, carregado de café
Arre burro para a Guarda, carregado de mostarda
Arre burro pra Viana, carregado de banana
Arre burro pra Lisboa, carregado
Com os restos mortais
Do Fernando Pessoa
E mais os seus trinta heterónimos
- Nem vão caber nos Jerónimos

A Carroça dos Poetas
Segue à solta a Poesia
E eu vou dentro a recitar
O poema da minha autoria

Meu amor eu gosto tanto
Da forma como tu gostas
Mas por favor anda buscar
As tuas unhas às minhas costas

6 comentários:

GreenSky disse...

Na minha aldeia cantavam:
Arre burro que amanhã é Sábado
Sericotalho, Bacalhau, Azeite E Alho
Que amanhã é dia de trabalho.

(A musica deve ser Judaica)

JL disse...

Fez-me lembrar uma história do Rosela. Uma que o meu avô e o meu pai me contaram. O TSFM também a sabe, contou-lha o Dr. Mário Alcântara. Ele (Rosela) tinha cada uma. :-)

Terreiro disse...

Deve ser a da multa ... Hoje em dia já não conseguimos fazer isso, os cavalos estão todos dentro do motor!!

Terreiro disse...

(A musica deve ser Judaica) Sim deve ser,na tua terra, porque na realidade não é: "Arre burro que amanhã é Sábado", mas Sim "Arre burro que amanhã é Sexta".

TSFM disse...

Bom, entendam-se lá quanto ao dia da semana, para que o burro possa devidamente organizar a sua agenda.

BlueShell disse...

SEi...
Beijuussss. BShell