18 janeiro 2008

Trabalhadores pedem respeito

Os trabalhadores da PSA em Mangualde, onde se fabricam dois modelos das marcas Peugeot e Citroen, não acreditam que a fábrica possa estar em risco de ser deslocalizada.

Jorge Abreu, representante dos de 1400 trabalhadores, considera especulativas as notícias de uma eventual transferência da produção para Marrocos.
O apelo feito esta quinta-feira pelo ministro da Economia, Manuel Pinho, para que a Câmara de Mangualde disponibilize, rapidamente, terrenos para a expansão da fábrica é encarado com desconfiança.
Jorge Abreu acusa Manuel Pinho de “brincadeiras políticas” e refere que o ministro poderá estar a “lavar as mãos como Pilatos”.
O ministro da Economia pediu rapidez ao presidente da Câmara de Mangualde para se pronunciar sobre se está ou não disposto a ceder os terrenos à fábrica da PSA e o autarca prometeu dar uma resposta esta sexta-feira.
Fonte do grupo automóvel garantiu à Renascença que, há poucos dias, em Vigo, Espanha, o presidente da PSA, no lançamento dos dois novos modelos Berlingo e Partner, que são produzidos em Mangualde, deixou claro que nesta altura o grupo não tem intenção de deslocalizar a produção.

Rádio Renascença

3 comentários:

ze disse...

Mas como é possível ainda vir um representante dos trabalhadores a dizer que isto são joguinhos políticos!!!

Será que ainda não percebeu a realidade da situação?

O Soares Marques é que fez bem a Mangualde sem estar a rever o PDM há mais de 10 anos e ter perdido cartas da administração da PSA e coisas do género!

Mas depois o governo é que ainda é o culpado?
Há cada um!

as-nunes disse...

O país da Contra-informação!
Em quem acreditar? O que hoje é verdade, daqui a meia-hora já é mentira?
Bolas, que andam a brincar com o Povo! Já estou como o Manuel Alegre. Um dia destes ainda aparece por aí uma nova Maria da Fonte e depois quero ver como é que se vai descalçar a bota.
Anda demasiada gente política com a mania dos autoritarismos e das grandezas.
Nós, Povo, temos o direito a uma informação atempada e correcta. Não acham que começa a ser demais?
A paciência tem limites.
António

al cardoso disse...

Tenho que concordar com o que o amigo Antonio escrever acima, desculpe amigo Terreiro mas os amigos nao tem que concordar sempre, por isso e que sao amigos!

Um abraco d'algodrense.