17 novembro 2008

Educação - A Ministra e os benefícios do tomate


EDUCAÇÃO - 1 - A ministra da Educação assinou um despacho, que entra em vigor hoje, segunda-feira, que «clarifica de uma vez por todas» o regime de faltas e desobriga os alunos com faltas justificadas à realização de um exame suplementar.

TOMATE - 2 - Foi realizada uma pesquisa por especialistas britânicos onde eles dizem que duas refeições diárias à base de tomate podem ajudar na prevenção contra os efeitos nocivos do sol.
Os cientistas da Universidade de Manchester e Newcastle fizeram uma experiência com dez pessoas que, durante três meses, comeram diariamente 55 gramas de massa de tomate misturadas a 10 gramas de azeite. E outras dez pessoas que ingeriram apenas as 10 gramas de azeite.
Após ter passado os três meses, os especialistas britânicos realizaram exames de pele nessas pessoas e puderam notar que os que haviam ingerido a massa de tomate tiveram a proteção contra os raios solares ultravioleta aumentada em 33%, além de maiores níveis de procolágeno.
O procolágeno é uma molécula que dá estrutura à pele e a mantém firme, ajudando na prevenção contra rugas.
A pesquisa feita à base da dieta de tomate elevou o nível de procolágeno na pele de um modo significativo, podendo dessa forma atrasar o envelhecimento da pele. Através desse estudo, mostrado na Sociedade Britânica de Dermatologia Investigativa, acredita-se que o antioxidante licopeno, que dá a cor avermelhada ao tomate, é que proporciona através dessas propriedades esses benefícios da fruta.
Além disso, este componente, encontrado em grande concentração quando o tomate é cozido, também é conhecido por seus benefícios contra o câncer de próstata.
Mas de acordo com os especialistas, eles dizem que a proteção que o tomate proporciona contra os raios ultravioleta deve ser considerada como uma ferramenta a mais contra os efeitos do sol e não como um substituto do protetor solar.

EDUCAÇÃO e TOMATE - 3 - Em Portugal, fizeram uma experiência com uma centena de alunos que, em apenas duas manifestações, atiraram alguns tomates à ministra da educação. E 120 mil professores em protesto não atiraram tomate algum à ministra.
Após terem passado alguns dias, os especialistas puderam notar que os que haviam atirado tomates à ministra tiveram rapidamente um despacho assinado a seu favor, coisa que não se verificou com os 120 mil professores que não utilizaram o tomate ou qualquer outra fruta como forma de luta.


Ponto 3 - ficção

1 comentário:

as-nunes disse...

Resumindo e concluindo, estará a pensar a Ministra da Educação: toma(te) lá que é democrático.
Ou seja, às vezes os alunos até acabam por ensinar os professores, neste caso particular, na área da botânica e dos vários usos a dar a certos frutos.
Ai os efeitos do Sol! E então não é que até tem estado um tempo solarengo que se farta? Vamos lá a ver se não vai é dar cabo da cabeça a muitos de nós!